Notícias

Reserva Extrativista Chocoaré-Mato Grosso, no Pará, recebe investimentos para preservação pelo Programa Adote um Parque

31 março 2021

Geoflorestas adotou a reserva de 2.783 hectares

Por meio do Programa Adote um Parque, a Geoflorestas passou a ser responsável pelo investimento em ações de preservação e conservação da Reserva Extrativista Chocoaré-Mato Grosso, a partir do desembolso de R$ 140 mil e da disponibilização das tecnologias de monitoramento, geoprocessamento e consultoria ambiental, oferecidas pelo portfólio da empresa.

A reserva, criada em 2002, está localizada no município de Santarém Novo, no nordeste do Pará e tem 2.783 hectares. “Atualmente, é uma área utilizada por populações extrativistas tradicionais e que praticam, complementarmente, a agricultura de subsistência e a criação de animais de pequeno porte”, explica o diretor comercial da Geoflorestas, Marcos Leandro Kazmierczak.

A iniciativa tem como objetivos básicos proteger os meios de vida e a cultura dessas populações, bem como assegurar o uso sustentável dos recursos naturais da unidade. “A Geoflorestas assume o compromisso de fornecer e contratar serviços de consultoria ambiental especializada e tecnologia de ponta nas ações prioritárias já mapeadas pelo ICMBio”, complementa Kazmierczak.

Entre essas ações estão: atualização do cadastro de moradores; monitoramento, fiscalização, proteção; definição de subsídio ao ordenamento pesqueiro; dimensionamento de um Plano de Manejo da reserva extrativista (RESEX); entre outros.

Segundo o diagnóstico ambiental preliminar da reserva, o espaço não tem garimpo, apresentou apenas 10 focos de queimadas em 10 anos, é o maior contínuo de mangue do planeta e tem grande potencial turístico.

 Programa Adote um Parque

O Adote um Parque foi lançado pelo Governo Federal/Ministério do Meio Ambiente, em fevereiro deste ano, para atrair recursos necessários a custear a manutenção das unidades de conservação federais de todo o país. O programa estabelece os valores mínimos de R$ 50 ou € 10 por hectare ao ano para as propostas de adoção das unidades.

Nesta primeira fase, o programa beneficiará 132 parques da Amazônia Legal, que representam cerca de 15% do território de todo o bioma. O Brasil possui, atualmente, segundo o Ministério do Meio Ambiente, 334 unidades de conservação federais.

Outras notícias